Cannes Lions 2010 >> 10 premiados que dão show na redação – Film

Começo hoje, aqui no blog, uma série de artigos sobre a edição 2010 do Festival de Publicidade de Cannes, que terminou no último dia 26. A ideia é mostrar o que o evento trouxe de mais bacana do ponto de vista do redator. Os melhores textos, os roteiros fodões, as grandes histórias criadas em favor de marcas ao redor do mundo.

Sem mais delongas, começo com a categoria Film, que engloba peças criadas para veiculação em mídias variadas, incluindo TV, cinema e web.

1. Old Spice (sabonete líquido) – The Man Your Man Could Smell Like

Prêmio: GP

Você provavelmente já conhece esse primeiro filme. É um dos maiores fenômenos de viralização dos últimos tempos. O texto é sensacional, propositalmente em um ritmo que mal dá ao ator tempo para respirar. E a obra termina coroada com um final encantadoramente nonsense. A criação é da Wieden+Kennedy (EUA), com assinaturas de Craig Allen e Eric Kallman na redação (e na direção de arte também).

2. Victoria Bitter (cerveja) – Regulars

Prêmio: Leão de Ouro

Uma parada que reúne os diversos tipos de bebedores da cerveja VB: os comedores de carne, os caras que deveriam ter lido as instruções, a turma dos que estão acima do peso, as pessoas que precisaram mentir para o chefe e enforcar o expediente para ir ao desfile. É o que mostra o filme feito pela Droga5 (Austrália), dos redatores Ali Ali e Maged Nassar. É o tipo de vídeo que só pode sair de um roteiro dos mais bem nascidos. Destaque para a locução de fundo, que é hilária.

3. Canal+ (canal de TV) – Closet

Prêmio: Leão de Ouro

O Canal+ é famoso em todo o planeta por sua programação original, criada por alguns dos melhores profissionais do mercado. E o astro deste filme é justamente um suposto roteirista da rede de TV francesa: Lucas G. Ele nos deixa uma mensagem com a qual eu concordo até os ossos, principalmente quando estamos falando de redação publicitária: “nunca subestime o poder de uma boa história”. E é por isso que o vídeo em questão consta neste artigo. Trampo da BETC Euro RSCG (França), que é quem paga o salário do redator Jean-Christophe Royer.

4. Johnnie Walker (uísque) – The Man Who Walked Around The World

Prêmio: Leão de Ouro

Esta lista não está seguindo uma ordem classificatória, mas, se alguém me pedisse para eleger um “GP de Redação”, a estatueta iria para o filme aí de cima. O conceito “Keep Walking”, das campanhas da Johnnie Walker, está entre os mais interessantes que eu conheço. Neste filme, o ator Robert Carlyle conta a caminhada de quase 200 anos da marca, desde que um rapaz do interior da Escócia precisou encarar a vida aos 14 anos, até que o uísque criado por ele se tornou o mais vendido do mundo. Trabalho da BBH (Inglaterra), que conta com o redator Justin Moore.

5. Skip (detergente) – Black and White

Prêmio: Leão de Prata

O único filme brasileiro premiado na categoria representa bem aquela história da sincronia perfeita entre redator e diretor de arte. A peça foi criada pela Borghierh/Lowe para promover os detergentes Skip Black e Skip White. A animação começa com uma historinha bem pueril, sobre um sujeito (em forma de palito, mas um sujeito) que resolve escalar uma montanha. Até que o vídeo convida você a prestar atenção à parte branca das imagens. Aí, tudo muda. O redator por trás do vídeo é Pedro Corbett.

6. Dos Equis (é, cerveja de novo) – Treasure Chest

Prêmio: Leão de Bronze

O filme é parte da campanha O Homem Mais Interessante do Mundo, da cerveja Dos Equis. A ideia é atingir os homens que curtem uma gelada, mas não se interessam apenas por papo de boteco e gostosas seminuas. Para isso, a agência Euro RSCG, dos redatores David Weinstock e Larry Silberfein, lançou um personagem com jeitão de James Bond by Sean Connery, cujos feitos são contados no melhor estilo “Chuck Norris facts”. Um belo exemplo de como determinado trend pode indicar um bom caminho para se criar uma campanha de sucesso.

7. Dove Man (linha de cosméticos) – Men’s Care

Prêmio: Leão de Prata

Tá bom, musiquinhas estão entre os truques mais velhos da publicidade. Tá bom, não faltam propagandas que utilizam o conceito “seja homem”. Mas o trabalho de redação, neste caso, é bom demais para não ser incluído aqui. Peça de autoria da Ogilvy (França), com a participação do redator Samuel Moore.

8. McDonald’s (você sabe) – Everybody

Prêmio: Leão de Prata

Certos recursos publicitários, embora batidos, são mesmo capazes de encantar, quando são bem feitos. Aqui, o recurso em questão é a rima. A narração em forma de poema fala sobre os vários tipos de gente que passam pela rede de restaurantes da marca. Segundo o próprio filme, “há um McDonald’s para cada um”. Criação de Leo Burnett (Inglaterra) com redação de Tony Malcolm e Guy Moore.

9. Apple (ok, esses parênteses às vezes são meio inúteis) – Legal Copy

Prêmio: Leão de Bronze

Em 2010, a Apple colocou ponto final na campanha Get a Mac, uma das mais famosas e mais aplaudidas da história da marca. E eu quis mencioná-la aqui não especificamente por causa deste vídeo, mas pelo conjunto da obra. Desde 2006, foram mais de 80 filmes, estrelando John Hodgman e Justin Long, respectivamente nos papéis de PC e Mac. Os roteiros, da TBWA\Media Arts Lab, são modelos de bom humor e longevidade criativa. Os redatores do filme Legal Copy são Kevin Tenglin e Krista Wicklund.

10. Canadian Cancer Society – Fight

Prêmio: Leão de Prata

Coloquei este filme aqui para mostrar que nem sempre “redigir” significa “escrever um texto”. Às vezes, a redação é nada mais que uma ideia. Uma ideia como “ei, que tal se, em vez de fazermos um filme clichê com uma narração melodramática, colocássemos as próprias pessoas que sofrem com o câncer para conversar com a doença como se ela fosse uma pessoa?” Bom, é bem provável que alguém tenha dito isso na DDB (Canadá), do redator Shane Ogilvie.

E nada de cenas dos próximos capítulos. Vejo vocês na próxima categoria.

Tags: , , ,

Comente