Vírgulas >> Como elas (ou a falta delas) podem tornar seu texto mais amigável

Acho O Grande Mentecapto, do Fernando Sabino, um dos livros mais legais da literatura brasileira. Para quem não conhece a história, ela conta as peregrinações do andarilho Geraldo Viramundo pelo Estado de Minas Gerais – inclusive por minha cidade natal, São João del Rei. É lá que ele conhece a Euterpe Lira de Ouro, uma das pequenas orquestras locais. É lá que ele ouve uma descrição impagável sobre o violinista mirim que tocava com o grupo: “Esse menino vai longe. Em música não é lá grande coisa, mas leva jeito para escrever, tem redação própria, virgula muito bem.”

Ok, Seu Policarpo, maestro amador e autor de tais dizeres, pode não ser uma grande referência quando o assunto é redação profissional. Mas, de um jeito ou de outro, é impressionante a maneira como o emprego das vírgulas costuma ser decisivo para determinar o nível de qualidade de um texto.

O assunto se divide em duas partes. Primeiro, a questão gramatical. É simples: se você usa vírgulas no lugar errado, pode tornar seu texto incompreensível ou alterar completamente o sentido de uma frase. Sobre isso, a Associação Brasileira de Imprensa lançou uma ótima campanha, em 2008:

Mas o que eu gostaria de abordar mesmo é a parte estilística da coisa. Aquelas situações em que você pode usar uma vírgula, um travessão ou um ponto, dependendo muito mais da sua vontade do que das regras de português. Veja este trecho, por exemplo:

O comerciante, após o nascimento do seu terceiro filho, desejava ampliar o empório e, além disso, pagar o que devia ao banco, mas nunca conseguiu, pois era pedulário demais, o que o impediu de realizar o sonho de formar uma família maior, com uma prole de quatro meninos e quatro meninas.

Se você se depara com um período desse enquanto está lendo a obra de um dos seus escritores prediletos, provavelmente não vai se incomodar. Porém, em um texto do dia a dia, em uma reportagem de revista ou um artigo na web, uma frase tão grande pode ser problemática. Pode ser difícil de entender em uma leitura rápida, tornando-se pesada demais, cutucando a preguiça do leitor com vara curta. Como solução, você pode simplesmente substituir algumas das vírgulas por pontos:

O comerciante, após o nascimento do seu terceiro filho, desejava ampliar o empório. Além disso, queria pagar o que devia ao banco. Nunca conseguiu, pois era perdulário demais. Isso o impediu de realizar o sonho de formar uma família maior, com uma prole de quatro meninos e quatro meninas.

Muitas vírgulas e poucos pontos são a fórmula básica para um texto pesado demais

Assim, as ideias ficam mais bem delimitadas, o texto fica mais leve e a compreensão é muito mais rápida. É claro que há exceções, mas costumo desconfiar das frases que escrevo com mais de 3 vírgulas ou mais de 3 linhas. Quando você chega a esse número, provavelmente já poderia ter colocado um ponto em algum lugar. É a velha técnica de escrever frases curtas para o bem do seu reciocínio e do seu público.

Virgular bem pode não ser garantia de um bom futuro na redação. Mas já é um ótimo começo. Para mim, para você e para o violinista da Euterpe Lira de Ouro.

Tags: ,

Comente